quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Almoço atribulado

Chove no Funchal.

Hora de almoço. Sair a correr do trabalho. Entrar no carro. Dar passagem a um "cromo" que anda a 20 km/h. Seguir por caminhos alternativos porque o do costume está em obras. Transito. Estacionar no sítio do costume. O elevador do costume que costuma ser mais rápido, hoje foi lento. Sair do elevador e deixar o guarda-chuva no carro.
Não chove, que sorte. Entrar no restaurante do costume. Conversa agradável. Começa a chover torrencialmente. Hora de ir embora. Embora? Como?




Esperar que o lençol de água desapareça. Chegar ao parque para retirar o carro. Só ter notas para pagar. Ter que subir um andar para pagar na caixa. Entrar no carro. Mais trânsito até ao trabalho...

E tudo isto com uma humidade superior a 90%.

É obra...

Faz anos hoje - Truman Capote

No dia 30 de Setembro de 1924 nasceu Truman Capote.

Da Infopédia:

Escritor norte-americano nascido em 1924, em Nova Orleães, e falecido em 1984. Oriundo de uma família de origem espanhola, viveu no Alabama e concluiu os seus estudos médios em Nova Iorque. Após ter iniciado colaboração em revistas, publicou o seu primeiro romance, Other Voices, Other Rooms, em 1948. Membro do Instituto Nacional das Artes e Letras, recebeu diversas distinções, entre as quais o Prémio Memorial O. Henry de 1946, 1948 e 1951, e o Prémio de Escrita Criativa do Instituto Nacional de Artes e Letras, em 1959. Publicou uma vasta obra, destacando-se Local Color (ensaio, 1950), The Grass Harp (romance, 1951), Breakfast at Tiffany's (contos, 1958) e Then It All Came Down (romance, 1976). Sobre o seu romance publicado em 1964, In Cold Blood (A Sangue Frio), Bennett Miller realizou Capote, um filme que valeu a Philip Seymour Hoffman, actor que vestiu a pele do escritor, vários prémios, nomeadamente o Óscar de Melhor Actor Principal.

Truman Capote. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-30]

terça-feira, 29 de setembro de 2009

A Mafalda também faz anos hoje

Quando ia no carro à hora de almoço, ouvi na Antena 2 que a Mafalda, personagem da banda desenhada da autoria do Argentino Quino, está de parabéns hoje. Completa 45 anos.

Os meu parabéns à Mafalda e ao sei criador.

Da Infopédia:

Personagem da banda desenhada (BD) criada pelo argentino Quino, Mafalda surgiu regularmente a 29 de Setembro de 1964, nas páginas do semanário Primera Plana. Um pouco antes tinham sido publicadas três tiras no suplemento humorístico da revista Leoplán. Em 1963 foi pedido a Quino para conceber uma história passada com uma família de classe média, que tivesse o intuito de promover artigos para o lar, sem que se identificasse claramente uma marca, numa espécie de propaganda indirecta, em que as personagens vão ambicionando ter determinados equipamentos. Quino assim fez, apresentando quatro tiras de BD, que acabaram por ser recusadas pelos jornais: sendo publicidade tinham de ser pagas, pelo que essa primitiva Mafalda nunca foi publicada. Mais tarde, o semanário Primera Plana pediu a Quino um projecto novo, tendo o autor apresentado Mafalda, cujo nome começa pela mesma letra da empresa de electrodomésticos que inicialmente despoletou a criação da série, Mansfield. A sua personagem emblemática, Mafalda a contestatária, surge numa série de banda desenhada publicada nos jornais e revistas em tiras (curta sequência de quadradinhos). Inicialmente, Mafalda foi publicada em Primera Plana (1964), onde surgiu durante seis meses, tendo depois sido publicada no diário El Mundo, a partir de Março de 1965 e, finalmente, no Siete Dias, desde 1967 até terminar em Julho de 1973, ao fim de mais de três mil tiras de BD. Para além das tiras diárias, Mafalda surgiu também em livros, cujo primeiro foi editado em 1966 na Argentina. A primeira edição no estrangeiro aconteceu em Itália, em 1969, tendo uma introdução de Umberto Eco. Nos anos seguintes seguir-se-iam Espanha, Portugal, França, Alemanha, Grécia, entre muitos outros países. Apesar do grande sucesso alcançado por Mafalda em diversos países, sobretudo na América Latina e na Europa, a decisão de terminar a série prendeu-se com o desejo de Quino se dedicar em exclusivo ao desenho de humor (Caricatura) e de não querer repetir situações, num trabalho diário que, ao fim de alguns anos, se torna difícil gerir. Quino apenas abriu excepções para causas como "A Declaração dos Direitos das Crianças" para a UNICEF, e para uma campanha médica a favor da higiene oral na Argentina, em que voltou a desenhar a pequena miúda e os seus amigos. Mas qual é o universo de Mafalda? Vive com uns pais muito resignados em relação ao que a vida lhes oferece, num retrato típico de uma família argentina (e não só) de classe média, sendo Mafalda, por vezes, particularmente cáustica com a situação doméstica da mãe. Mafalda é também uma observadora muito perspicaz do que se passa no Mundo, sendo uma crítica implacável da sociedade. Primeiro conhece as notícias através da rádio e dos jornais, depois pela televisão, que chega "tarde" a casa, depois de muita pressão sua, pois Mafalda chegou a ser a única na escola que não tinha televisão. Está sinceramente preocupada com o destino do planeta, personificado no seu globo fétiche, com o qual tanto fala. Quanto aos meninos da sua idade com quem se dá, vieram enriquecer decisivamente a série, pela diferença de personalidades e de objectivos de vida. Manolito (Manelinho) aspira seguir as pisadas do pai, emigrante espanhol dono de uma mercearia, local onde Manolito surge frequentemente atrás do balcão a atender clientes. Filipe é o sonhador do grupo, sendo muito tímido. Mora no mesmo prédio de Mafalda, gosta de Xadrez e de BD, imaginando-se no papel de Cavaleiro Solitário. O castiço Miguelito não gosta de sopa como Mafalda, odiando o mar, uma vez que o imagina como uma "enorme sopa"! Com a Susaninha existem várias divergências, pois esta quer casar com um homem rico para não trabalhar e ter muitos filhos. Para além disso, é racista, não gosta de pobres e fala, fala, sendo uma cópia fiel da sua mãe. Gui (diminutivo de Guilherme) é o irmão mais novo de Mafalda, tendo aparecido em 1968. Sempre de chupeta na boca, é contestatário como a irmã. Finalmente Liberdade, a última personagem a surgir, consegue ser ainda mais contestatária que Mafalda, assumindo-se como uma verdadeira revolucionária. Como a mãe é a única senhora que trabalha fora de casa, a mãe de Liberdade merece toda a admiração de Mafalda. Mesmo tendo terminado há décadas, a popularidade e a actualidade de Mafalda continuam a ser impressionantes, sendo justamente considerada a mais célebre heroína da BD da América Latina e um nome incontornável da banda desenhada mundial. A adaptação aos desenhos animados aconteceu em 1993, em Espanha, quando se produziu uma série de 104 episódios de um minuto. Em Portugal a série surgiu em Maio de 1970, por intermédio das Publicações Dom Quixote, que até 1975 editaram um total de 18 livros em pequeno formato. Em 1972 a mesma editora apresentou o primeiro álbum em grande formato, seguindo-se diversos outros títulos (entre o final dos anos 70 e durante os anos 80 do século XX), também em grande formato. Dado o grande carinho com que os leitores portugueses acolheram a série, foi editado o livro Toda a Mafalda, condensando num único volume as tiras da pequena irrequieta, para além de apresentar diversas curiosidades sobre a série e o seu autor. A Bertrand Editora apresentou em 2003 O Mundo de Mafalda, que corresponde a uma nova versão do título anterior e em 2005 surgiu Viagem com Quino e Mafalda, álbum editado pela Teorema. Em 2001 a Fnac editou em exclusivo dois vídeos com mais de 100 episódios (de um minuto cada) de desenhos animados de Mafalda.

Mafalda. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-29]

Faz anos hoje - Jerry Lee Lewis

No dia 29 de Setembro de 1935 nasceu Jerry Lee Lewis.

Da Infopédia:

Cantor norte-americano, Jerry Lee Lewis nasceu a 29 de Setembro de 1935, em Ferriday, no estado de Louisiana. Apesar de fazer parte de uma família pobre, Jerry começou a ter aulas de piano aos 10 anos, juntamente com dois primos, e desde logo mostrou muito talento. Um outro primo, mais velho, ensinou-lhe o boogie-woogie, ao qual Jerry juntou gospel e country para criar um estilo muito próprio. Aos 14 anos, quando já tinha demonstrado todas as potencialidades para fazer carreira no meio musical, nomeadamente numa actuação na sua terra natal, a sua mãe inscreveu-o num colégio religioso no Texas. Só que a irreverência de Jerry levou a que três meses depois fosse expulso e enviado para casa. A partir daí levou uma vida muito agitada e aos 21 anos, já com dois casamentos pelo meio e uma pequena temporada na prisão, foi contratado pela editora Sun, de Memphis. Lançou o primeiro single em 1956, com o título Crazy Arms, uma versão de Ralph Mooney que alcançou um êxito considerável. Jerry Lee Lewis manteve-se pelos estúdios Sun a trabalhar, tocando piano para outros artistas, até que um dia, a 4 de Dezembro de 1956, fez uma sessão de improviso com Elvis Presley e Carl Perkins. Entretanto, Jerry, que gostava de dar espectáculo em palco, deixou de tocar piano sentado para assim poder ser mais exuberante. Em Março de 1957, Sam Philips, dono dos estúdios Sun, apostou tudo na promoção do segundo single, "Whole Lotta Shakin' Goin' On", de Jerry Lee Lewis, que se revelou um tremendo sucesso. Entretanto, Jerry ganhava notoriedade com os seus espectáculos ao vivo cheios de energia e loucura. Subitamente, Jerry Lee Lewis tornou-se o mais recente, excitante e empolgante artista do rock'n'roll. O Matador (The Killer), como passou a ser conhecido, conquistou o respeito do mundo da música. O lançamento seguinte, em Novembro do mesmo ano, foi "Great Balls of Fire", um tema gravado apenas na companhia do piano, mas nem por isso com menos energia, que se tornou um marco na história do rock & roll. Este tema foi o mais conhecido da sua carreira, projectando-o para a participação no filme Jamboree, sobre o rock. Pouco tempo depois lançou mais um single que dominou as tabelas de vendas, "Breathless". Em finais de 1957, Jerry Lee Lewis casou com a sua prima de 13 anos, Myra Gale Brown, filha do seu baixista, e a partir daí a sua carreira entrou em declínio. A insistência de Jerry Lee Lewis em se fazer acompanhar pela sua esposa na digressão de estreia em Inglaterra alertou a imprensa britânica para o casamento polémico, contribuindo para o clima de destruição da imagem de Jerry nos jornais. A digressão acabou por ser cancelada. O regresso aos EUA não se revelou menos penoso. Os seus discos foram banidos das rádios e Jerry praticamente não tinha propostas de concertos. Em Março de 1958, Jerry Lee Lewis envolveu-se numa discussão com Chuck Berry para decidir qual dos dois encerrava um concerto. A organização optou por Chuck Berry, mas Lewis, durante a sua actuação, acabou por incendiar o piano em palco, inviabilizando a actuação de Berry. Jerry andou quase uma década em queda e só regressou aos tops em finais dos anos 60 e início dos 70, mas desta vez numa linha country e western. Em 1972 voltou a dedicar-se ao rock & roll. Mas os problemas familiares, o álcool e as drogas arrasaram de novo a carreira do excêntrico músico. Contudo, ele ressurgiu outra vez em 1989, quando foi lançado um filme de Jim McBride sobre a sua vida, chamado Great Balls of Fire. Jerry Lee Lewis cantou as músicas da banda sonora. O mediatismo desse filme rendeu-lhe um convite para compor um tema da banda sonora de Dick Tracy.
O seu nome foi integrado no Rock & Roll Hall Of Fame e foram editadas diversas edições especiais e compilações da sua obra. O músico continuou a actuar, optando por registar em disco muitos desses espectáculos.

Jerry Lee Lewis. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-29]

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Para além de Paltrow

Para além de Paltrow, faria anos hoje Confúcio e faz anos hoje o Henrique Freitas, comentador habitual do Outras Escritas.

Faz anos hoje - Gwyneth Paltrow

No dia 28 de Setembro de 1973 nasceu Gwyneth Paltrow.

Da Infopédia:

Actriz norte-americana, Gwyneth Kate Paltrow nasceu a 28 de Setembro de 1973, em Los Angeles, Califórnia, EUA. É actriz de cinema e filha do realizador Bruce Paltrow e da actriz Blythe Dynner. Foi durante alguns anos namorada de Brad Pitt, actor com quem contracenou em Se7en (Sete Pecados Mortais, 1995). A sua formação como actriz foi proporcionada e vigiada pelos pais enquanto era muito jovem. Em 1991, com apenas dezoito anos, desiste de estudar e sai da Universidade da Califórnia para seguir carreira no mundo do cinema. No mesmo ano, estreia-se com o filme Shout como Rebecca, um pequeno desempenho mas que lhe proporcionou actuar ao lado do famoso actor John Travolta, e faz de pequena Wendy no filme Hook (Capitão Gancho), ao lado de nomes famosos como Robin Williams (Peter Banning/Peter Pan), Dustin Hoffman (Capitão Gancho), Julia Roberts (Sininho) e Maggie Smith (a idosa Wendy). A partir daqui, participa em alguns filmes e, em 1995, entra em Se7en (Sete Pecados Mortais), filme de sucesso internacional, desempenhando o papel de Tracy Mills, mulher de David Mills (Brad Pitt). Em 1996, no filme Emma, faz de Emma Woodhouse, papel que a tornou famosa e lhe valeu o convite para interpretar Viola De Lesseps em Shakespeare in Love (A Paixão de Shakespeare, 1998), filme que lhe conferiu o Óscar para Melhor Actriz em 1999. Consagrada como actriz talentosa, partiu para Inglaterra para protagonizar, ao lado de Matt Damon, Cate Blanchett e de Jude Law, o filme The Talented Mr. Ripley (O Talentoso Mr. Ripley, 1999). Em seguida, participou numa série de comédias, destacando-se The Royal Tenenbaums (Uma Comédia Genial, 2001), Shallow Hal (O Amor é Cego, 2001) e o fiasco de bilheteira View From the Top (Altos Voos, 2003).

Gwyneth Paltrow. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-10]

domingo, 27 de setembro de 2009

Mais do mesmo...

Ora aí está! Temos mais do mesmo.

Eu estou de consciência tranquila, por todos os motivos. Cumpri o meu dever para com o país.

Faz anos hoje - Erupção do Vulcão dos Capelinhos

No dia 27 de Setembro de 1957 inicia-se a erupção do Vulcão do Capelinhos.

Da Wikipédia:

De 16 a 27 de Setembro de 1957, registou-se uma crise sísmica na ilha com mais de 200 sismos, de intensidade não superior a grau V da Escala de Mercalli. No dia 23 de Setembro de 1957, a água do mar começou a fervilhar. Três dias depois, a actividade aumentou intensamente havendo emissão de jactos negros de cinzas vulcânicas com cerca de 1 000 metros de altura (atingindo a altitude máxima de 1 400 metros) e uma nuvem de vapor de água que subia por vezes a mais de 4 000 metros.

A 27 de Setembro, teve início pelas 6h45 uma erupção submarina a 300 metros da Ponta dos Capelinhos (ou seja, a 100 metros dos Ilhéus dos Capelinhos). A partir de 13 de Outubro, a emissão de gases e as explosões de piroclastos, ainda que violentas passaram a ser menos frequentes. Estas foram rapidamente sucedidas por explosões violentas, atirando bombas de lava e grandes quantidade de cinzas para o ar, enquanto que, por baixo, correntes de lava escorriam para o mar. A erupção continuou intensa até 29 de Outubro, com constantes chuvas de cinzas sobre o Faial que destruíram culturas agrícolas e forçaram a evacuação das populações das zonas mais próximas do vulcão.

A erupção evoluiu formando primeiro uma pequena ilha a 10 de Outubro, chamada de "Ilha Nova" (ou "Ilha dos Capelinhos", e ainda, "Ilha do Espírito Santo"), com 600 metros de diâmetro e 30 metros de altura, ficando com a cratera aberta ao oceano. Dada a temperatura, a emissão de materiais revelou um tom acinzentado. A ilha atingiria por fim os 800 metros de diâmetro e 99 metros de altura. Esta primeira pequena ilha afundou-se na cratera, no dia 29 de Outubro.

Munido da sua câmara de filmar, Carlos Tudela e Vasco Hogan Teves, repórteres da RTP, desembarcaram a 23 de Outubro na ilha recém-nascida, na vertente do vulcão activo. Acompanhado do jornalista Urbano Carrasco, do Diário Popular, arriscaram as suas vidas num pequeno barco remado por Carlos Raulino Peixoto para colocar a bandeira nacional na "Ilha Nova".

A 4 de Novembro de 1957, a erupção vulcânica recomeça e rapidamente se formou uma nova ilha. Com a formação de um istmo, no dia 12 de Novembro, a ilha ligou-se à ilha do Faial. A actividade eruptiva aumentou progressivamente, atingindo o seu máximo na primeira quinzena de Dezembro, surgindo um segundo cone vulcânico. A 16 de Dezembro, depois de uma noite de chuvas torrenciais e abundante queda de cinzas, cessou a actividade explosiva e começou a efusão de lava incandescente, a que se juntaram, três dias depois, as explosões com jactos de cinzas e muitos blocos de pedra. Precisamente no dia 29 de Dezembro, a actividade eruptiva conheceu uma nova e breve pausa.

De Janeiro a Abril de 1958, reapareceram jactos pontiagudos de cinzas, geralmente acompanhados de fumos brancos ou acastanhados. Em Março, os Ilhéus dos Capelinhos já haviam desaparecido definitivamente sob manto das cinzas e areias, tendo estas formado dois areais de apreciável dimensão, chegando a atingir vários metros de espessura junto ao farol e nas áreas adjacentes, o que levou ao soterramento de casas e à ruína dos telhados de muitas habitações.

No início de 1958, John Scofield, repórter da revista National Geographic, e o famoso fotógrafo Robert F. Sisson, passaram um mês a documentar as várias fases da erupção.

Depois da violenta crise sísmica na noite de 12 para 13 de Maio, em que houve mais de 450 sismos, a erupção dos Capelinhos sofreu reajustamentos profundos no edifício vulcânico e na estrutura tectónica. A partir de 14 de Maio, a actividade passou ao tipo estromboliano, com fortes ruídos, acompanhados de ondas infra-sónicas que fizeram estremecer portas e janelas em toda a ilha e, por vezes, nas ilhas próximas, e com a projecção de fragmentos de lava incandescente que iam a mais de 500 metros de altura. Também nesse dia, surgiram fumarolas no fundo da Caldeira (vulcão central da ilha), que emitiam vapor de água com cheiro a enxofre e com lama em ebulição.

A erupção constituiu "um espectáculo grandioso", um misto de belo e horrendo que jamais será esquecido por quem o presenciou. É legado transmitido para as gerações seguintes. A erupção prosseguiu por mais uns meses, consistindo em explosões moderadas do tipo estromboliano com várias correntes de lava, a última das quais a 21 de Outubro, sendo observado no dia 24 de Outubro, pela última vez a emissão de fragmentos incandescentes.

sábado, 26 de setembro de 2009

Faz anos hoje - T. S. Eliot

No dia 26 de Setembro de 1888 nasceu T. S. Eliot.

Da Infopédia:

Thomas Stearns Eliot (1888-1965), poeta, crítico e dramaturgo inglês, nasceu em St. Louis, no Missouri. Frequentou a Universidade de Harvard (1906-10), prosseguindo os seus estudos na Sorbonne, onde estudou durante um ano. Regressou a Harvard para estudar filosofia por um período de três anos. Teve como professores George Santayana, Josiah Royce e Bertrand Russel. Uma bolsa de estudo levou-o posteriormente à Universidade de Oxford, onde preparou o seu doutoramento sobre a filosofia idealista de F. A. Bradley e aprofundou os seus conhecimentos de Platão e Aristóteles. A tese de Eliot foi publicada em 1936.Persuadido por Ezra Pound, fixou-se definitivamente em Inglaterra em 1915, naturalizando-se em 1927. Nesse ano converteu-se ao catolicismo; da sua conversão ao movimento católico no seio da Igreja inglesa dão testemunho os seus ensaios reunidos no volume For Lancelot Andrews (1928).De 1917 a 1919 Eliot foi assistente editorial da revista The Egoist . Entretanto, em 1917, foi publicado o seu primeiro livro de poesia, Prufrock and Other Observations , para o qual foi decisivo o apoio de Ezra Pound. O poema The Love Song of J. Alfred Prufrock foi publicado inicialmente na revista americana Poetry em 1915. Em 1917 Eliot escreveu o ensaio Tradition and the Individual Talent , a que se seguiram um segundo volume de poesia ( Poems , 1919), que incluía o poema Gerontion , e uma reedição de Prufrock intitulada Ara vos prec (1920).Depois de leccionar em diversas escolas inglesas, Eliot trabalhou durante oito anos no Lloyds Bank , antes de se tornar director da editora Faber (1925). Em 1922, no primeiro número da revista Criterion (que Eliot editou entre 1923 e 1939), foi publicado The Waste Land , o poema mais influente deste século, dedicado a Ezra Pound e posteriormente publicado na Hogarth Press por Leonard e Virginia Woolf. O tema de The Waste Land é a decadência e fragmentação da cultura ocidental, concebida imaginativamente por analogia com o fim de um ciclo de fertilidade natural. O poema divide-se em 5 partes, que não obedecem a uma sequência lógica, e estende-se por 433 versos. A justaposição de símbolos, imagens, ritmos, citações e sequências temporais, contribuem para a dimensão épica do poema e reforçam a sua coerência artística. Considerado um poema controverso desde o momento da sua publicação, The Waste Land marcou o início de uma nova fase na poesia deste século.Eliot só voltou a publicar poesia em 1830, com The Hollow Men ; no mesmo ano publicou Ash Wednesday , o registo poético da conversão do escritor ao catolicismo. As peças The Rock (1934) e Murder in the Cathedral (1935) reflectem igualmente a adesão de Eliot à doutrina católica. O mesmo acontece nos seus dramas posteriores: The Family Reunion (1939), The Cocktail Party (1950), The Confidential Clerk (1954) e The Elder Statesman (1958). Entretanto, entre 1935-42, Eliot produziu nova obra-prima, Four Quartets , publicada num único volume em 1943. Nos poemas que compõem aquela obra, Eliot aperfeiçoou uma linguagem poética própria, adequada às experiências espirituais que esses poemas traduzem.A reputação de Eliot como figura cimeira do Modernismo europeu é indissociável de uma reflexão constante sobre a tradição literária inglesa, sobre a qual escreveu longamente. Os seus ensaios críticos revelam esta preocupação constante com a poesia e a tradição: The Sacred Wood (1920), Homage to Dryden (1924), The Use of Poetry and the Use of Criticism (1933), Elizabethan Essays (1934), Milton (1947), Poetry and Drama (1951), The Three Voices of Poetry (1953), On Poetry and Poets (1957). Entre os seus trabalhos de crítica social contam-se obras polémicas como After Strange Gods (1936), The Idea of a Christian Society (1939) e Notes Towards a Definition of Culture (1948). O seu estilo desafiador está igualmente presente na reflexão sobre os escritores clássicos ( Modern Education and the Classics , 1934) e em termos gerais na sua abordagem da literatura. Até ao final da sua vida, Eliot não deixou de se pronunciar de forma crítica sobre a expressão poética enquanto manifestação da consciência moderna. A consistência do seu pensamento e a coerência da sua formulação valeram-lhe um estatuto privilegiado na literatura anglo-americana. Em 1948 foi-lhe atribuído o Prémio Nobel da Literatura.

T. S. Eliot. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-10]

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Amigos do Ervedal


No meio de tanta agitação e de tantas energias negativas, recebi hoje um e-mail de um amigo do Erverdal (vila alentejana minha terra Natal) que me dá alento e me incentiva a continuar e melhorar este espaço, onde tão pouco tenho escrito ultimamente.

Obrigado ao António Pais pelo seu e-mail.

Faz anos hoje - Christopher Reeve

No dia 25 de Setembro de 1952 nasceu Christopher Reeve.

Da Infopédia:

Actor norte-americano, nasceu a 25 de Setembro de 1952, em Nova Iorque, e morreu a 10 de Outubro de 2004, vítima de uma paragem cardíaca, no Hospital de Northern Westchester, em Mount Kisco, Nova Iorque. Embora tenha desempenhado diferentes tipos de papéis, este actor alto, moreno e bem constituído será sempre lembrado como o Super-Homem. O facto de esta personagem memorável ter sido um modelo de força física serve, ironicamente, para acentuar a tragédia que se abateu sobre o actor quando, em 1995, ficou tetraplégico na sequência de uma queda de um cavalo, durante uma prova equestre. Reeve começou a interessar-se pelo teatro aos 8 anos. Mais tarde, estudou Inglês e Música na Cornell University e fez uma pós-graduação em Arte Dramática. Trabalhou em Londres e em Paris e, quando regressou aos Estados Unidos da América, desempenhou um papel na série de televisão Love of Life, desde 1974 até 1976. Durante este período, estreou-se também na Broadway, numa peça em que actuou ao lado de Katharine Hepburn. No entanto, foi quando o escolheram para o papel de Clark Kent, o Super-Homem, de entre muitos outros actores como os famosos Robert Redford, Sylvester Stallone e Clint Eastwood, que Reeve se tornou uma estrela. O filme Superman: The Movie (1978), realizado por Richard Donner, foi um êxito estrondoso e valeu ao actor um Prémio da British Academy. Posteriormente, seguiram-se outros filmes, como, por exemplo, Somewhere in Time, de 1980, Deathtrap, de 1982, The Aviator, de 1985 e The Remains of the Day, de 1993, mas também aqueles que lhe permitiram consolidar a imagem de super-herói: Superman II (1980), Superman III (1983) e Superman IV: The Quest for Peace (Em Busca da Paz, 1987). O argumento deste último foi escrito pelo próprio Reeve, e demonstra um aspecto muito importante da vida deste actor: a preocupação com o mundo. De facto, nos anos oitenta, enquanto a sua carreira se desdobrava entre o cinema, a televisão e os palcos, Reeve envolveu-se em vários causas sociais e fundou, juntamente com outros actores, uma instituição chamada Creative Coalition, que se ocupa de questões relacionadas com o ambiente, os sem-abrigo e com a protecção das Artes. Esteve também ligado à Amnistia Internacional, tendo ido ao Chile em 1987, para dar o seu apoio a autores presos por questões políticas. Depois do acidente, que lhe causou lesões múltiplas incluindo a fractura de várias vértebras do pescoço, o actor tornou-se um activista na área da investigação e ajudou a fundar um centro especializado em doenças da coluna vertebral. Apesar do acidente que o paralisou, continuou a trabalhar, tendo protagonizado a adaptação televisiva de Rear Window (Janela Indiscreta, 1998), um remake de Alfred Hitchcock, e iniciado uma carreira como realizador (In the Gloaming, em 1997, e The Brooke Ellison Story, em 2004). Christopher Reeve demonstrou sempre, após o acidente que o incapacitou fisicamente, uma enorme coragem e uma força imensa, alimentando a esperança de que os avanços da Medicina pudessem voltar a fazê-lo andar. Foi, neste contexto, um dos rostos que lutou pela autorização legal para a investigação com recurso a células estaminais que, até à data, suscitava questões éticas.

Christopher Reeve. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-10]

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Desabafo

"Viver um dia de cada vez".

Hoje parámos de respirar... e a esperança, é cada vez mais ténue.

Faz anos hoje - Francis Scott Fitzgerald

No dia 24 de Setembro de 1896 nasceu Francis Scott Fitzgeral.

Da Infopédia:

Escritor norte-americano nascido a 24 de Setembro de 1896, em St. Paul, no estado do Minnesota, e falecido a 21 de Dezembro de 1940. Aos 13 anos, escreveu The Mystery of the Raymond Mortgage, uma história sobre um detective que foi publicada no jornal da escola que frequentava. Depois de ter passado por uma escola católica, ingressou, em 1913, na Universidade de Princeton, mas apostou mais no desenvolvimento das suas aptidões literárias do que a estudar as matérias do seu curso. Em 1917, por exemplo, escreveu argumentos e letras para espectáculos musicais e textos humorísticos para revistas. Como constatou que não ia conseguir terminar o curso, ainda em 1917 alistou-se no exército, onde chegou a segundo-tenente. Na altura, os Estados Unidos da América estavam envolvidos na Primeira Guerra Mundial e Fitzgerald estava convencido que ia morrer em combate. Por isso, escreveu a toda a pressa o romance The Romantic Egoist. No ano seguinte, foi trabalhar para Nova Iorque e, apesar de bem sucedido no mundo da publicidade, Fitzgerald deixou o emprego em 1919 para se dedicar ao romance This Side of Paradise, onde usou material de The Romantic Egoist. No mesmo ano, começou a escrever artigos para revistas populares. Para poder ganhar mais dinheiro deixou a escrita de romances e começou a escrever histórias de ficção para jornais. As suas histórias de amor foram consideradas inovadores e refrescantes. Em 1920, finalmente publicou This Side of Paradise, com o qual alcançou um tremendo sucesso. Logo no ano seguinte, publicou o seu segundo romance, The Beautiful and Damned. O casal entrou, entretanto, numa fase de grandes luxos participando em inúmeras festas, gastando muito dinheiro e acumulando dívidas. Em 1924, o romancista mudou-se para França, onde escreveu um dos seus livros mais marcantes, The Great Gatsby (O Grande Gatsby), que apesar de ter recebido boas críticas foi um fracasso a nível de vendas. Este romance viria a ser adaptado ao teatro e, posteriormente, ao cinema, ganhando outra visibilidade. A versão cinematográfica mais conhecida é a de 1974, realizada por Jack Clayton, tendo Robert Redford por protagonista. Fitzgerald regressou aos Estados Unidos da América em 1931, tendo tentado escrever alguns argumentos para filmes. Contudo, só conseguiu terminar um, Three Comrades, em 1938. Logo depois, foi despedido devido aos seus problemas de alcoolismo. Em 1939, começou a escrever o romance The Love of The Last Tycoon, que nunca terminaria porque morreu vítima de ataque cardíaco a 21 de Dezembro de 1940. No entanto, baseado no que já deixara escrito, foi realizado, em 1976, o filme The Last Tycoon. Sob a direcção de Elia Kazan estiveram os actores Robert de Niro, Robert Mitchum e Jack Nicholson. F. Scott Fitzgerald escreveu também alguns contos, entre os quais Babylon Revisited, que inspirou o filme The Last Time I Saw Paris (Última Vez Que Vi Paris), com Elizabeth Taylor.

Francis Scott Fitzgerald. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-10]

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Desabafo

Nunca em altura nenhuma da minha vida a máxima "Viver um dia de cada vez" esteve tão presente.

Nas últimas duas semanas, os dias são mesmo vividos assim. Se as notícias são razoáveis, há que aproveitar o momento e respirar tranquilamente.

Se são más, o ar começa a faltar.

Hoje estamos a respirar... há que aproveitar o momento.

A Quinta dos Animais

Comprei uma edição recente (2008) da célebre "Animal Farm" de George Orwell.

Segundo nota do tradutor, Paulo Faria, o novo título da obra em português "A Quinta dos Animais" está mais de acordo com o original de Orwell em língua inglesa do que os títulos anteriormente utilizados nas traduções para português: "O Porco Triunfante" e o célebre "O Triunfo dos Porcos".

Vou reler...

Faz anos hoje - John Coltrane

No dia 23 de Setembro de 1926 nasceu John Coltrane.

Da Infopédia:

Saxofonista norte-americano nascido a 23 de Setembro de 1926, em Hamlet, Carolina do Norte, Estados Unidos da América. Desde sempre esteve rodeado pela música, pois o seu pai tocava vários instrumentos, o que o levou a estudar trompete e clarinete. No liceu, as influências de Lester Young e Johnny Hodges levaram-no a mudar para saxofone alto. Fez os seus estudos musicais em Filadélfia e foi chamado para prestar serviço militar durante a Segunda Guerra Mundial, na Marinha norte-americana no Hawai. No seu regresso, ingressou na Eddie "CleanHead" Vinson Band. Depois de tocar com Dizzy Gillespie e Jimmy Heath, passou a fazer parte do Miles Davis Quintet, em 1955. Aqui pôde pôr em prática a sua paixão pela experimentação, pois Miles Davis dava-lhe bastante liberdade. Em 1960 formou o seu próprio quarteto com McCoy Turner (piano), Elvin Jones (bateria) e Jimmy Garrison (baixo). O John Coltrane Quartet criou o som mais inovador e expressivo de toda a história do jazz com os álbuns: My Favorite Things (1960), Africa Brass, Impressions, Giant Steps (1959) e a sua obra-prima A Love Supreme (1964), um dos mais profundos testamentos de fé religiosa. Os anos finais de Coltrane foram marcados pela controvérsia. Foi-lhe diagnosticado um cancro no fígado, que juntamente com a sua toxicodependência levou-o gradualmente a perder energia e ganhar peso. Discretamente, Coltrane tentava ocultar estes factos, dado o seu enorme trabalho de composição, gravação e actuações. Morreu a 17 de Julho de 1967, deixando um legado musical que aumenta o seu valor com o passar dos anos. John Coltrane era considerado um "pregador" do jazz contemporâneo e ao mesmo tempo um profeta do que estaria para vir. Na comemoração do seu 75.° aniversário, foi criada a Fundação John Coltrane, com o objectivo de atribuir bolsas escolares a jovens músicos, de modo a encorajar e desenvolver o jazz e outras formas de expressão artísticas no âmbito do jazz, valores esses que estão presentes na música de John Coltrane.

John Coltrane. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-09]

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Desabafo

Perguntava-me a minha amiga Reflexos do bolgue Desvios porque não há novos "posts" aqui no Outras Escritas.

Respondi-lhe com a mais pura das verdades. Não consigo escrever!

Os últimos dias têm sido tão negativamente intensos que se me esgotaram as forças para escrever o que seja.

Vai passar...

Faz anos hoje - Paolo Ruffini

No dia 22 de Setembro de 1765 nasceu Paolo Ruffini.

Da Infopédia:

Matemático italiano, nascido em 1765 e falecido em 1822, estudou Filosofia, Medicina e Cirurgia antes de se graduar em Matemática. É reconhecido principalmente pelo Teorema de Abel-Ruffini: não existe uma solução geral para equações de grau maior que 4 usando unicamente radicais. Recusando-se a prestar juramento à República aquando do domínio napoleónico, foi impedido de ensinar, dedicando-se à medicina. Após a queda de Napoleão, retomou a sua posição de professor em Modena. Tendo contraído tifo durante uma epidemia, escreveu um artigo onde apresentou os sintomas e o tratamento com base em observações sobre a evolução da doença em si próprio.

Paolo Ruffini. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-09]

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Faz anos hoje - H. G. Wells

No dia 21 de Setembro nasceu H. G. Wells.

Da Infopédia:

Escritor inglês, de nome completo Herbert George Wells, nascido em 1866 e falecido em 1946, teve uma infância difícil mas foi um autodidacta incansável, conseguindo licenciar-se em Ciências pela Universidade de Londres. É considerado um dos pioneiros da ficção científica. A sua obra revela fé no progresso técnico. Destacam-se, de entre os numerosos livros que publicou, The Time Machine (A Máquina do Tempo, 1895), The Island of Doctor Moreau (A Ilha do Doutor Moreau, 1896) e The War of the Worlds (A Guerra dos Mundos, 1897).

H. G. Wells. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-09]

domingo, 20 de setembro de 2009

Faz anos hoje - Sophia Loren

No dia 20 de Setembro de 1934 nasceu Sophia Loren.

Da Infopédia:

Actriz italiana, de nome verdadeiro Sofia Villani Scicolone, nascida a 20 de Setembro de 1934, em Roma. É conhecida pelos seus papéis de mulher apaixonada. Foi educada em Nápoles, em condições extremamente humildes, agravadas pela Segunda Guerra Mundial. Com 14 anos, a já bela Sophia entrou em diversos concursos de beleza que lhe abriram oportunidades de emprego: começou como modelo de fotonovelas e depois como figurante em filmes como Cuori Sul Mare (1950) e Quo Vadis (1951). Em 1951, depois de se ter consagrado como Miss Roma, casou-se com o produtor cinematográfico Carlo Ponti que se encarregou de gerir a carreira da mulher. Depois de um papel secundário em Africa Sotto i Mari (1953), protagonizou L'Oro di Napoli (Ouro de Nápoles, 1954) de Vittorio de Sica. O filme foi um retumbante sucesso em Itália e elevou Sophia à categoria de símbolo sexual, muito devido aos seus dotes físicos. Catapultada para uma carreira internacional, em 1957 filmaria o seu primeiro filme em língua inglesa: Boy on a Dolphin (A Lenda da Estátua Nua) ao lado de Alan Ladd. Seguiram-se The Pride and the Passion (Orgulho e Paixão, 1957) e The Black Orchid (A Orquídea Negra, 1958), filme que lhe valeu o Prémio de Melhor Actriz no Festival de Veneza. Fez história quando se tornou na primeira actriz num filme não-falado em Inglês a vencer o Óscar de Melhor Actriz pela sua prestação em La Ciociara (As Duas Mulheres, 1960) no papel de uma mulher que, juntamente com a sua filha, é violada por soldados Marroquinos no decorrer da Segunda Guerra Mundial. Voltou a ser nomeada três anos depois pelo seu papel de amante de Marcello Mastroianni em Matrimonio All'Italiana (Matrimónio à Italiana, 1964). Hollywood chamou-a para as suas grandes produções, salientando-se El Cid (1961), The Fall of the Roman Empire (A Queda do Império Romano, 1964), Lady L (1965), Operation Crossbow (Operação V2, 1965) A Countess From Hong Kong (A Condessa de Hong Kong, 1967), Brief Encounter (Breve Encontro, 1974), Cassandra Crossing (1976) e Brass Target (O Grande Golpe do Ouro, 1978). Em 1983, esteve detida durante uma semana por acusação de fuga aos impostos, facto que motivou uma violenta reacção do público italiano que se manifestou a favor da actriz. Em 1990, foi distinguida com um Óscar Honorário pelos serviços prestados à arte cinematográfica. A partir daí, rareou as suas aparições, trabalhando sobretudo para cinema, embora tivesse acedido ao convite de Robert Altman para um papel em Prêt-à-Porter (Pronto a Vestir, 1994).

Sophia Loren. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-09]

sábado, 19 de setembro de 2009

Mais adversidades...

Para além de todos os problemas que ensombram a minha família, também agora o meu computador portátil deixou de funcionar.

Assim sendo, os "posts" no Outras Escritas ficarão, nos próximos dias, reduzidos ao "Faz anos hoje", a não ser que apareça por aí um novo computador...

Faz anos hoje - William Goldwin

No dia 19 de Setembro de 1911 nasceu Wlliam Goldwin,

Da Infopédia:

Escritor inglês, William Gerald Golding nasceu a 19 de Setembro de 1911 na pequena aldeia de St. Columb Minor, na Cornualha. Filho de um professor primário de fortes entusiasmos políticos e de uma activista dos direitos das mulheres, começou a escrever precocemente, com apenas sete anos de idade. Após ter concluído os seus estudos secundários na Marlborough Grammar School , ingressou no Brasenose College da Universidade de Oxford, com o intuito de cumprir o desejo paterno e versar Ciências da Natureza. Não obstante, ao fim de dois anos encontrou forças para seguir a sua verdadeira vocação e pediu transferência para Literatura Inglesa. Em 1934, ainda estudante, publicou o seu primeiro livro, uma compilação de poemas intitulada Poems . No ano de 1939 mudou-se para Salisbury, onde passou a leccionar Inglês na Bishop Wordsworth's School . Em consequência da deflagração da Segunda Guerra Mundial alistou-se na Real Armada Britânica, ascendendo pouco tempo depois ao posto de comandante de um torpedeiro. Presenciou o afundamento do couraçado alemão Bismarck e o desembarque na Normandia. Finda a guerra, Golding retomou o ensino e a sua grande ambição, a escrita. Em 1954 publicou o seu primeiro romance, Lord Of The Flies (O Senhor das Moscas ), que se tornou num sucesso de vendas imediato e internacional. A obra recria acontecimentos que decorreriam num futuro próximo, e conta a história de um grupo de crianças, após terem sido evacuadas de Inglaterra por causa de uma guerra nuclear, sobrevivem ao despenhamento do avião em que seguiam, e que mata todos os adultos. Chegando a uma ilha de coral, formam a sua própria sociedade, que começa por ser solidária e justa, para se ir tornando gradualmente numa autêntica anarquia. Seguiram-se, entre outros volumes, The Inheritors (1955), obra que remete à destruição dos homens de Neanderthal pelos Cro-Magnon, Free Fall (1959), The Spire (1964), retrato lúcido da monomania humana, Darkness Visible (1979) e Rites Of Passage (1980, Ritos de Passagem ). Investido cavaleiro em 1988, William Golding foi vencedor de inúmeros prémios, entre os quais o prestigiado Nobel da Literatura, em 1983. Faleceu em Perranarworthal a 19 de Junho de 1993.

William Golding. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-09]

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Angústia...

Da Infopédia:

1. PSICOLOGIA mal-estar, ao mesmo tempo psíquico e físico, caracterizado por um receio difuso, sem objecto bem determinado, desde a inquietação ao pânico, e por impressões corporais penosas, como a constrição torácica ou laríngea
2. figurado aflição, ansiedade, agonia
3. figurado mágoa, tristeza
4. figurado estreiteza; opressão;
angústia de peito doença também denominada angina de peito;
angústia existencial inquietude metafísica e moral, como consciência de um destino pessoal sob o signo da liberdade ou da ameaça do nada


Por estes dias dias é assim. Vivendo numa indefinição constante e caminhando para um fim, que embora não esteja anunciado, é previsível...

Faz anos hoje -Jorge Sampaio

No dia 18 de Setembro de 1939 nasceu Jorge Sampaio.

Da Infopédia:

Político português, de seu nome completo Jorge Fernando Branco de Sampaio, nasceu a 18 de Setembro de 1939, em Lisboa. Iniciou a sua carreira política ainda como estudante da Faculdade de Direito de Lisboa (onde se licenciou pouco depois) quando, em 1962, o governo de Salazar proibiu a comemoração do Dia do Estudante, desencadeando uma crise marcada pela greve estudantil ("luto académico"), reprimida por vezes com brutalidade. Terminado o curso, dedicou-se à advocacia, participando, como muitos outros advogados oposicionistas, em julgamentos nos Tribunais Plenários, como defensor de oposicionistas presos (por exemplo, os implicados no assalto ao quartel de Beja desencadeado por partidários de Humberto Delgado). Candidatando-se a deputado em 1969, não foi eleito, como aconteceu a todos os oposicionistas. Após o 25 de Abril de 1974, integrou-se em movimentos de esquerda próximos do Partido Socialista (Movimento de Esquerda Socialista e Grupo de Intervenção Socialista), acabando por aderir ao Partido Socialista, do qual foi mais tarde secretário-geral. Como militante socialista, candidatou-se e foi eleito por três vezes para o Parlamento, tendo cumprido um biénio como presidente do Grupo Parlamentar do seu partido. Se a sua experiência governativa é curta (Secretário de Estado em 1975), o mesmo já não se pode dizer da sua permanência à frente da edilidade lisboeta, pois nesta assumiu dois mandatos sucessivos, o último dos quais interrompido para Sampaio se candidatar à presidência da República em 1996. Beneficiando de um apoio vasto de figuras da política e da cultura, e beneficiando também da solidariedade institucional do PS, de que continua a ser militante, venceu (com 53,8% dos votos) os seus opositores Aníbal Cavaco Silva e Jerónimo de Sousa, transformando-se no terceiro presidente eleito depois da restauração da Democracia. Recandidatou-se ao lugar em 2001 e venceu as eleições, conquistando 55,8% dos votos. Em 2004, foi galardoado com o prémio Carlos V, atribuído pela Academia Europeia de Yuste e entregue pelo rei Juan Carlos de Espanha, pelo seu empenho no processo de unificação da Europa e pelo seu contributo para a divulgação e enaltecimento da cultura, história e ciência europeias. Nas eleições presidenciais ocorridas em Janeiro de 2006, Cavaco Silva foi o candidato eleito para substituir Jorge Sampaio na presidência da República.

Jorge Sampaio. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-09]

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Devo sentir-me excluído? Ou info-excluído? Antiquado?

Li hoje no Destak ou no Metro, já não sei bem, que a redes sociais na Internet têm cada vez mais utilizadores, chegando o Facebook aos trezentos milhões de inscritos.

O artigo caracteriza este tipo de sítios Internet como ideais para quem gosta de saber da vida alheia. Eu não poderia estar mais de acordo com esta afirmação. Não consigo vislumbrar mais nenhuma utilidade neste tipo de redes, a não ser a intrusão incógnita na vida alheia.

Há dias a minha amiga Reflexos referiu no seu blogue Desvios que tinha encontrado amigos que já não via há muito tempo e que foi o FaceBook que lhe permitiu voltar ao contacto com eles. Estou de acordo, esta poderá ser uma vantagem, mas que é anulada pela exposição a que os utilizadores ficam sujeitos.

Resumindo e concluindo, ainda não estou convencido. Continuo a ser daqueles que não tem conta no FaceBook, mas que, por outro lado, não tem qualquer problema em expor-se na Internet, afinal de contas estou identificado aqui no Outras Escritas e se alguem me quiser encontrar, basta fazer uma pesquisa com o meu nome no Google.

É que, não sei se já repararam que quem gosta de se meter na vida dos outros, detesta que esses outros se metam na sua vida.

Agora, como diz o ditado, "nunca digas desta água não beberei", deixo a promessa de que, se um dia aderir ao FaceBook, farei uma declaração pública desse facto aqui no blogue.

Obrigado

Obrigado ao Passos na calçada por referir o Outras Escritas como um blogue madeirense.

Não conhecia este blogue, mas prometo estar atento aos seu conteúdos.

Faz anos hoje - Agostinho Neto

No dia 17 de Setembro de 1922 nasceu Agostinho Neto.

Da Infopédia:

Político, médico e poeta, António Agostinho Neto, nascido a 17 de Setembro de 1922, foi o primeiro presidente da República Popular de Angola. Desde cedo um opositor do domínio colonial português, foi por várias vezes detido em Lisboa, onde se licenciou em Medicina, e em Cabo Verde. Em 1962, fugiu para Marrocos, onde se juntou ao movimento de libertação no exílio. No mesmo ano foi eleito presidente do Movimento Popular para a Libertação de Angola (MPLA). Nessa qualidade, proclamou, a 11 de Novembro de 1975, a independência do país. Colaborou em várias revistas, jornais e publicações culturais e publicou diversos livros, dos quais se destacam o seu primeiro livro, Náusea (1952), Quatro Poemas de Agostinho Neto (1957), Com os Olhos Secos (1963) e Sagrada Esperança (1974). Recebeu o prémio Lótus (1970) e o Prémio Nacional de Literatura (1975). Morreu a 10 de Setembro de 1979, na Rússia.

Agostinho Neto. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-09]

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Desejo satisfeito

Memórias da ilha Terceira (Açores)



Faz anos hoje - Lauren Bacall

No dia 16 de Setembro de 1924 nasceu Lauren Bacall.

Da Infopédia:

Actriz norte-americana nascida a 16 de Setembro de 1924, em Nova Iorque, de seu nome verdadeiro Betty Joan Perske. Desde cedo sonhou em seguir uma carreira artística, tendo frequentado o curso de Interpretação na Academia Americana de Artes Dramáticas. Em 1943, iniciou uma curta mas bem-sucedida carreira de modelo sob a designação de Betty Bacall. No mesmo ano, posou para a capa duma reputada revista, tendo chamado a atenção da esposa de Howard Hawks que a recomendou ao marido que estava à procura duma cara nova para contracenar com Humphrey Bogart em To Have and To Have Not (Ter e Não Ter, 1944). A sua estreia foi bastante auspiciosa, tendo celebrizado neste filme uma imagem de femme fatale que iria perdurar, graças à sua voz sexy e à canção Am I Blue?. No decorrer das rodagens, os dois actores apaixonaram-se, tendo contraído matrimónio no mesmo ano, formando um dos pares mais mediáticos de Hollywood. O casal contracenaria por mais três vezes: no clássico do film noir The Big Sleep (À Beira do Abismo, 1946), em Dark Passage (Prisioneiro do Passado, 1947) e Key Largo (Paixões em Fúria, 1948). Em 1948, Bacall decidiu assinar contrato com a Warner que lhe ofereceu interessantes projectos a solo como Young Man With a Horn (Dois Destinos,1950), Bright Leaf (Fumos de Ambição, 1950), How to Marry a Millionaire (Como Conquistar um Milionário, 1953), Blood Alley (Aldeia em Fuga, 1955) e Written on the Wind (Escrito no Vento, 1956). A morte de Bogart em 1957, vítima de cancro, deixou-a bastante fragilizada. Começou a rarear as suas aparições cinematográficas e entre 1957 e 1966, ano em que casa com o actor Jason Robards, surge em apenas seis filmes. Abandona o mundo do cinema e dedica-se ao teatro, alcançando um retumbante êxito com o musical Applause (1970). Revê a sua posição e regressa ao mundo do cinema, inserida no elenco de luxo de Murder on the Orient Express (Crime no Expresso do Oriente, 1974). Da sua filmografia posterior destacam-se as suas participações no derradeiro título de John Wayne, The Shootist (O Atirador, 1976), Misery (O Capítulo Final, 1990) de Rob Reiner e Prêt-à-Porter (1994) de Robert Altman. Mas o seu melhor papel dos últimos anos viria a ser o da matriarca Hannah Morgan que domina a vida da filha (interpretada por Barbra Streisand) em The Mirror Has Two Faces (As Duas Faces do Espelho, 1996). Nomeada para o Óscar de Melhor Actriz Secundária, partia como grande favorita à conquista do galardão, mas na Noite dos Óscares foi derrotada por uma atónita Juliette Binoche que no seu discurso de vitória revelou a sua surpresa pelo facto, já que fora para a cerimónia convicta de que Bacall sairia vencedora. Em 2003 integrou o elenco de Dogville, de Lars Von Trier.

Lauren Bacall. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-08]

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Faz anos hoje - Tommy Lee Jones

No dia 15 de Setembro de 1946 nasceu Toomy Lee Jones.

Da Infopédia:

Actor norte-americano, Anthony Lee Jones nasceu a 15 de Setembro de 1946, na pequena cidade de San Saba, no estado do Texas. Durante a juventude, nada indiciava que ia seguir a carreira de actor: foi um razoável jogador de futebol americano pela Universidade de Harvard, onde se licenciou em 1969 em Literatura Britânica, tendo sido colega de quarto de Al Gore, futuro vice-presidente dos Estados Unidos da América. Mesmo sem ter tido aulas de expressão dramática, viajou para Nova Iorque e para a Broadway, onde iniciou a sua carreira teatral. Ao mesmo tempo, estreou-se no cinema com uma pequena participação em Love Story (História de Amor, 1970). Na Broadway, coleccionou êxitos, dos quais o mais célebre foi a peça Blue Boys (1972). Paralelamente, surgiu em séries televisivas e telenovelas. Filmes como The Betsy (Betsy, 1978), The Eyes of Laura Mars (Os Olhos de Laura Mars, 1978) e Coal Miner's Daughter (A Filha do Mineiro, 1980) foram filmes que requisitam os seus indispensáveis serviços como actor secundário, sendo que, no último filme, Jones arrancou os aplausos da crítica pelo seu desempenho como esposo da cantora Loretta Lynn (Sissy Spacek). Depois de filmar ao lado de Sally Field Back Roads (Atalhos, 1981), recebeu uma distinção importante: um Emmy pela sua actuação no telefime The Executioner's Song (A Canção do Carrasco, 1982) em que deu vida ao assassino Gary Gilmore. Em 1988 participou no filme Stormy Monday (Dia de Tempestade) de Mike Figgis. Depois de diversas grandes produções televisivas, entre as quais a aclamada Lonesome Dove (O Céu Como Horizonte, 1989), o actor concentrou as suas atenções no cinema: Fire Birds (Apaches, 1990) foi um infeliz regresso, mas já JFK (1991) trouxe-lhe uma merecida nomeação para o Óscar de Melhor Actor Secundário, personificando Clay Shaw, um executivo de Nova Orleães acusado de cumplicidade no assassinato do presidente Kennedy. Depois de rodar o filme de acção Under Siege (A Força em Alerta, 1992) e o drama de Oliver Stone Heaven and Earth (Quando o Céu e a Terra Mudaram de Lugar, 1993), Jones incorporou a interpretação mais bem conseguida da sua carreira: o agente federal Samuel Gerard em The Fugitive (O Fugitivo, 1993). A energia e desvelo que emprestou à personagem foram frutíferos: venceu o Óscar para Melhor Actor Secundário. A partir daí, todos os filmes em que participou foram êxitos de crítica e de bilheteira, conferindo-lhes o "toque de Midas": The Client (O Cliente, 1994), Natural Born Killers (Assassinos Natos, 1994), Blue Sky (Céu Azul, 1995), Batman Forever (Batman Para Sempre, 1995), Men in Black (Homens de Negro, 1997), US Marshalls (A Perseguição, 1998), em que retomou a personagem de Gerard, Space Cowboys (2000), Men in Black II (Homens de Negro 2, 2002), The Hunted (O Batedor, 2003) e The Missing (Desaparecidas, 2003).

Tommy Lee Jones. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-08]

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Faz anos hoje - Marcos Valle

No dia 14 de Setembro de 1943 nasceu Marcos Valle.

Da Infopédia:

Compositor, produtor, cantor e instrumentista brasileiro, Marcos Kostenbander Valle nasceu no dia 14 de Setembro de 1943, no Rio de Janeiro, Brasil. Aos 6 anos de idade, começou a estudar piano clássico, continuando, nos anos seguintes, a formação nesse instrumento. Em 1956, completaria a certificação em piano e teoria musical. Irmão do letrista Paulo Sérgio Valle, é com ele que divide os principais êxitos da sua carreira, nomeadamente a primeira canção bem-sucedida do seu percurso, "Sonho de Maria", editada em 1963. Antes disso, em 1961, havia formado com Edu Lobo e Dorival Caymmi um trio que chegou a actuar publicamente algumas vezes. Em 1964, em co-autoria com o irmão, lançaria o primeiro disco. No ano seguinte, vivendo nos EUA, veria uma canção sua conhecer grande sucesso. "Samba de Verão", gravada por Walter Wanderley, chegaria ao segundo lugar das tabelas americanas e seria alvo, nos anos subsequentes, de inúmeras versões. Na viragem para os anos 70, Marcos Valle aproximar-se-ia mais do registo pop e soul, compondo também música para novelas. Considerado um compositor da segunda vaga da bossa nova, seria um dos pioneiros do género drum'n'bossa, já na década de 90, em plena eclosão da demanda drum'n'bass no mundo, fundindo os sons clássicos do Brasil com um embalo moderno. Discografia 1964, Samba demais 1965, O compositor e o cantor Marcos Valle 1967, Braziliance! A música de Marcos Valle 1967, Viola enluarada 1968, Samba'68 1969, Mustang cor de sangue 1970, Marcos Valle 1971, Garra 1972, Vento Sul 1973, Previsão do tempo 1974, Marcos Valle 1981, Vontade de Rever Você 1986, Tempo da Gente 1998, Nova Bossa Nova 2001, Bossa entre Amigos 2002, Escape 2003, Contrasts 2004, Live in Montreal 2005, Jet-Samba

Marcos Valle. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-08]

domingo, 13 de setembro de 2009

Açores


Esta calma, esta paz, estas paisagens maravilhosas...

Este tempo vagaroso, este mar, esta luz, este povo...

Só mesmo aqui.

Faz anos hoje - Arnold Schonberg

No dia 13 de Setembro de 1874 nasceu Arnold Schonberg.

Da Infopédia:

Compositor e professor austríaco, naturalizado norte-americano, Arnold Franz Walter Schoenberg nasceu em 1874, em Viena, Áustria, e morreu em 1951, em Los Angeles. Foi o criador do novo método de composição baseado em séries de doze tons tratados livremente e não já estabelecendo as relações de privilégio tradicionalmente admitidas (composição atonal). Seguiu sempre uma estética expressionista, orientado pelas directrizes filosóficas, teatrais, literárias e musicais encontradas emGustav Mahler, em Wassily Kandinsky, em Stephan George, em Richard Strauss e em Joseph Mathias. Todas essas influências abrangem os períodos do pós-romantismo alemão: o impressionismo e o expressionismo. Os seus trabalhos mais conhecidos são Verklärte Nacht (1899), Pelleas und Melisande (1902), o único poema sinfónico para orquestra String Quartet N.º 1 in D Minor, Opus 7 (1904), Pierrot Lunaire (1912), Suite for String Orchestra (1934), Variations on a Recitative for Organ, Opus 40 (1940) e Theme and Variations For Band, Opus 43A (1943).

Arnold Schoenberg. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-08]

sábado, 12 de setembro de 2009

Desabafo

Por muito que estejamos preparados para uma realidade menos boa que afecte os nossos familiares, o contacto próximo com essa realidade é sempre doloroso.

Começam assim as minhas férias...

Agora, sigo para o paraíso açoreno, mas com um aperto no peito.

Faz anos hoje - Maurice Chevalier

No dia de 12 de Setembro de 1888 nasceu Maurice Chevalier.

Da Infopédia:

Actor e cantor francês de musicais e comédias, nasceu a 12 de Setembro de 1888 e faleceu a 1 de Janeiro de 1972, em Paris, vítima de complicações após uma cirurgia renal. «Benjamim» de nove irmãos, deixou de estudar aos 11 anos para trabalhar como operário. O seu primeiro contacto com o meio artístico foi como acrobata num circo, mas um acidente que lhe motivou a fractura de um braço levou-o a abandonar as artes circenses para se dedicar às canções. Rapidamente se tornou afamado no circuito dos cabarets parisienses e, em 1908, chegaria mesmo ao cinema, participando na curta-metragem Trop Crédules. Quando eclodiu a 1.ª Guerra Mundial, era uma estrela das Folies-Bergère. Aprisionado, foi mantido em cativeiro durante dois anos num campo militar. Findo o conflito, continuou na senda do sucesso, especialmente na revista musical. Em 1929 e após numerosos convites, muda-se para Hollywood, onde encanta os americanos com o seu timbre melodioso e o seu sotaque. Recebe uma nomeação para o Óscar de Melhor Actor pela sua participação nos filmes The Big Pond (O Grande Charco, 1930) e The Love Parade (A Parada do Amor, 1930). Ficou célebre o seu dueto com Jeanette MacDonald em The Merry Widow (A Viúva Alegre, 1934). Durante a Segunda Guerra Mundial, o seu prestígio ficou algo beliscado devido ao facto de ter continuado a dar espectáculos numa França ocupada pelos nazis. Continuou a filmar regularmente no seu país natal e nos EUA, destacando-se Gigi (1958), Can-Can (1960) e Fanny (1961). Em 1958, recebeu um Óscar Honorário pelo seu meio século de contribuição para o mundo do espectáculo.

Maurice Chevalier. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2009. [Consult. 2009-09-08]