quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Joan Sutherland

Joan Sutherland, na minha opinião a melhor voz de sempre, faria hoje 87 anos. Aqui fica uma gravação da ária "Confusa e alma" da ópera Emilia di Liverpool de Gaetano Donizetti. A gravação é de 1957, dois anos antes da famosa Lucia do Covent Garden em Fevereiro de 1959.


Joan Sutherland, the best voice ever in my opinion, would be today 87 years. Here is a recording of the aria "Confused and soul" of Emilia di Liverpool opera by Gaetano Donizetti. The recording is from 1957, two years before the famous Lucia Covent Garden in February 1959.



quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Paulo Ferreira

Mais um vídeo com a voz do tenor português Paulo Ferreira, desta vez interpretando "E lucevan le stelle" da ópera Tosca, G. Puccini. A voz do Paulo para além de um timbre surpreendentemente belo e constante em todos os registos tem um volume considerável. Depois, a nível de expressão, tem também uma qualidade assinalável. Bravíssimo meu caro Paulo

Another video with the voice of Portuguese tenor Paulo Ferreira, this time playing "E lucevan le stelle" from Tosca, G. Puccini. Paul's voice as a stunningly beautiful and constant timbre in all registers and considerable volume. Besides that, the vocal expression is also remarkable. Bravíssimo dear Paulo.



quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Criticas ao Don Alvaro do tenor Paulo Ferreira nas récitas da ópera La Forza del Destino em INNSBRUCK/AUSTRIA

…“Paulo Ferreira cantou brilhantemente e livre como Alvaro e foi o único estilisticamente mais perto de Verdi.” … by U. Strohal in Tiroler Tageszeitung

…” Paulo Ferreira, como Alvaro foi o elenco ideal em cena. A mais bela voz de tenor para Verdi, à qual o público aplaudiu freneticamente.” … by S. Krabichler in StattBlatt Innsbruck

…” Do elenco de cantores Paulo Ferreira destaca-se como Alvaro, uma viril, potente voz e ainda dramaticamente altamente sensível e um cantor excepcional, um evento.” … by F. Gratl in Kronen Zeitung

Como não poderia deixar de ser,o nosso tenor continua com uma brilhante carreira.
Parabéns Paulo!

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Edita Gruberova em Anna Bolena de Donizetti (Budapeste Setembro de 2013)

Edita Gruberova continua a dar cartas nos repertório de Bel canto italiano. Já assisti, felizmente, a várias óperas com a cantora nomeadamente: Roberto Devereux - Munique; Lucia di Lammermoor - Barcelona; Lucrezia Borgia - Barcelona; Anna Bolena - Barcelona e Roberto Devereux - Madrid.

Achando sempre que a cantora interpreta todos este papeis com uma qualidade inegável, devo confessar que o Roberto Devereux a que assisti no início de este ano em Madrid me impressionou mais que, por exemplo a Anna Bolena de 2011 em Barcelona. Achei a cantora em melhor forma do ponto de vista vocal apesar dos seus 66 anos de idade.

Parece que a boa forma continua a avaliar pelos vídeos disponibilizados no YouTube, captados numa récita da Anna Bolena ocorria em Budapeste no passado dia 10 de Setembro.





quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Rockwell Blake - RAI 1991

Concerto completo do tenor Rockwell Blake em 1991. Mais uma "pérola" recentemente disponível no Youtube.

O tenor interpreta Mozart e de Rossini. Reparem na facilidade e na precisão com que enfrenta as árias de dificuldade extrema. É, sem dúvida, uma das melhores vozes de sempre!



Complete concert with tenor Rockwell Blake in 1991. A "must" recently available on Youtube.

Blake sings Mozart and Rossini. The arias are extremely difficult, but Blake, as always, sings them easily and with incomparable style. He is one of the best voices ever!


terça-feira, 3 de setembro de 2013

Os desaires da TAP

Para que vejam a forma vergonhosa como A TAP resolve as reclamações dos seus clientes, deixo aqui os textos trocados dos e-mails trocados com o "fale connosco":

Reclamação referente à reserva xxxx - ALBERTO GRILO

A reserva identificada corresponde à aquisição de passagens aéreas para o percurso FNC LIS FCO LIS FNC, como viagens prémio associadas ao cartão Victoria Gold TP xxxxxxxxx (Alexandra xxx).

A primeira reclamação prende-se com o facto de, ao pretender realizar o check in móvel para os voos FNC LIC TP xxx e LIS FCO TP xxx , apenas conseguir obter o cartão de embarque móvel para a primeira viagem. Contactei-vos através de facebook, mas não me foi dada resposta em tempo útil, o que me obrigou a passar no balcão de check in no Funchal.

A segunda reclamação, esta bem mais grave, refere-se ao facto de o primeiro segmento da viagem ter sido adquirido para classe executiva uma vez que não havia disponibilidade de lugar em classe económica. No embarque foi-me comunicado que não existia serviço de bordo e, já na aeronave, a chefe de cabina fez o mesmo anúncio justificando que o voo ia ser feito com o número mínimo de tripulantes. Pensei na altura que em executiva teria que haver serviço de bordo, uma vez que foram cobradas mais 5000 milhas no cartão atrás identificado para prestação desse serviço. Já a meio do voo e percebendo que nada acontecia, uma vez que toda a tripulação se encontrava sentada nos seus lugares com cortinas fechadas e em "amena cavaqueira", resolvi confirmar com um dos elementos, que realmente não haveria serviço de bordo, mesmo em executiva. Fui informado que não, mesmo em executiva não haveria serviço de bordo. Pedi imediatamente para preencher documento com reclamação. Nesse documento, que foi entregue à chefe de cabina, exijo que devolvam imediatamente as 5000 cobradas para viajar em executiva, uma vez que em voos de médio curso em Airbus A 319/320/321 não há praticamente distinção a nível de conforto entre económica e executiva. Para além disso, refiro que "esta é uma situação vergonhosa para uma companhia como a vossa", que anuncia sistematicamente um serviço de qualidade, que pratica, por isso, preços exorbitantes e que nos "recebe de braços abertos". Até hoje não tive qualquer resposta à reclamação feita, nem sequer uma confirmação por e-mail de que tinha sido entregue no departamento respectivo.
Por este facto, venho aqui reiterar a minha exigência da devolução imediata de 5000 milhas para o cartão Victoria Gold TP xxx (Alexandra xxx).

A terceira reclamação é praticamente igual à primeira, uma vez que nos voos de regresso (FCO LIS TP xxx e LIS FNC TP xxxx ) ter acontecido a mesma coisa com o check in móvel, isto é, apenas consegui o cartão de embarque para o primeiro voo, o que me obrigou a enfrentar uma longa fila de check in em FCO. Aqui foi-me dada uma resposta em tempo útil, mas de nada adiantou. Dizem do departamento técnico que está tudo ok e que experimentaram um equipamento móvel igual ao que possuo, conseguido obter os dois cartões. Acontece que o meu equipamento está actualizado a nível de software e de sistema operativo logo, não existe justificação para esta situação.

A quarta reclamação prende-se com os atrasos excessivos nos voos de regresso. É inconcebível que os voos do fim do dia estejam sistematicamente atrasados e sempre com as mesmas desculpas. Verifiquem, por favor os atrasos nos meus voos de regresso, já identificados.

Melhores cumprimentos
Alberto Velez Grilo


Resposta da TAP:

Exmo. Senhor Alberto Grilo,

Fazemos referência ao seu contacto com a TAP Portugal, relativo à sua viagem entre o Funchal e Roma via Lisboa no dia xxx e regresso no dia 24 xxx, que mereceu a nossa melhor atenção.

Permita-nos apresentar o nosso mais sincero pedido de desculpa por todos os transtornos decorrentes das situações descritas por V. Exa, esclarecendo que os seus comentários foram tidos em total consideração e de imediato remetidos aos responsáveis pelas áreas visadas.

No que concerne à falta de serviço a bordo no voo TPxxx entre o Funchal e Lisboa no dia xxx, aproveitamos a oportunidade para esclarecer que a TAP Portugal assumiu um Acordo de Empresa com os seus tripulantes em que, como regra, deve existir uma composição de Tripulação de Cabine de determinado número. Caso o número de tripulantes seja reduzido ao “mínimo de segurança”, está acordado que o voo pode ser assegurado mas sem serviço a bordo.

Aproveitamos esta oportunidade para esclarecer que o serviço de catering não é obrigatório, mas sim uma cortesia da Companhia aos passageiros, que naturalmente cumprimos sempre, salvo em ocasiões excecionais, tal como foi o caso. Desta forma, lamentamos informar mas não poderemos corresponder ao solicitado.

Todavia, na tentativa de minimizar os transtornos causados, informamos que procedemos ao crédito de 500 milhas no seu cartão Victoria TP xxx, como forma de compensação.

Gostaríamos ainda de informar que tanto o voo TPxxx entre Roma e Lisboa, como o voo TPxxx até ao Funchal, sofreram um atraso por razões de ordem operacional.

A pontualidade é um dos objetivos da TAP Portugal, estando a trabalhar arduamente no sentido de garantir que as partidas e chegadas dos nossos voos sejam, sempre, na hora inicialmente prevista. Ainda que conscientes que existirão sempre fatores dificilmente controláveis, inerentes à própria natureza do transporte aéreo, a nossa responsabilidade é estarmos preparados para os contornarmos, momento a momento.

Certos da sua compreensão para o exposto, esperamos que um próximo voo com a TAP Portugal se revele totalmente satisfatório e aproveitamos esta ocasião para apresentar os nossos melhores cumprimentos.

Carla Anes
Fale connosco


Resposta minha à resposta da TAP

Exmos. Senhores

Confesso que fiquei perplexo com a solução que encontraram para, como afirmam, "minorarem os transtornos que me causaram".

Resumindo, para não me alongar em exposições que em nada resultam. O que eu vos exijo não 500 milhas no meu cartão TAP Victoria, são sim, 5000 Milhas no cartão com o qual foi obtido o bilhete prémio, Victoria Gold TP xxx (Alexandra xxx).

Relembro que a utilização da classe executiva foi por vós imposta, e que não houve qualquer diferenciação de serviço relativamente à classe económica.

Alberto Velez Grilo


Resposta final da TAP

Exmo. Senhor Alberto Grilo,

Fazemos referência ao email que nos enviou no dia 29 de Agosto, na sequência da nossa resposta datada do mesmo dia, que mereceu a nossa melhor atenção.

Renovamos o nosso pedido de desculpas pelos transtornos causados.

Contudo, gostaríamos de esclarecer que o caso vertente não se enquadra nas situações passíveis de reembolso ou pagamento de compensação de acordo com o Regulamento EC 261/2004 ou das Condições Gerais de Transporte, pelo que lamentamos mas não podemos corresponder solicitado.

Conforme já previamente referido, reiteramos o crédito de 500 milhas no seu cartão Victoria.

Certos da sua compreensão, aproveitamos esta ocasião para apresentar os nossos melhores cumprimentos.

Carla Anes

Fale connosco



A companhia foi muito célere a creditar as 500 minhas no meu cartão TAP Victoria. Como é obvio não tenciono usá-las em bilhetes prémio, muito menos nesta companhia. Fiz imediatamente uma doação à Associação das Aldeias de Crianças SOS de Portugal

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

David Hansen - Rivals


Acabei de comprar (em versão digital).


Aparentemente, David Hansen tem uma das vozes que mais se assemelha à dos "castrati". A interpretação de "Son qual nave" é extraordinária (seguindo o cantor terá as mesmas ornamentações que Farinelli utilizava).




quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Edita Gruberova em Lisboa

1996, Edita Gruberova como Elvira na ópera I Puritani de Bellini (S. Carlos).


terça-feira, 27 de agosto de 2013

Guillaume Tell de Gioachino Rossini no Rossini Opera Festival 2013

Assisti no dia 20 de Agosto à última das récitas da ópera Guillaume Tell, integradas no Rossini Opera Festival de 2013.

Foi com grande expectativa que me desloquei mais uma vez a Pesaro e o Guillaume Tell, ponto alto do festival deste ano, não desiludiu.

Como sempre, a ópera principal do festival, é posta em cena na Arena Adriática, um recito desportivo, adaptado muito razoavelmente para o efeito. Desta forma, é possível ter bastante mais publico a assistir do que no pequeno Teatro Rossini.

O elenco da récita foi o seguinte:

Guillaume Tell: Nicola Alaimo
Arnold Melcthal: Juan Diego Flórez
Walter Furst: Simon Orfila
Melcthal: Simone Alberghini
Jemmy: Amanda Forsythe
Gesler: Luca Tittoto
Rodolphe: Alessandro Luciano
Ruodi: Celso Albelo
Leuthold: Wojtek Gierlach
Mathilde: Marina Rebeka
Hedwige Veronica Simeoni

Direcção: Maestro Michele Mariotti
Encenação: Graham Vick
Coreografia: Ron Howell

Orquestra e coro do Teatro Comunale di Bologna

Devo referir desde já que a do ponto de vista vocal a récita esteve sempre a um nível que considero de alta qualidade. No entanto, há algumas interpretações que merecem uma referência mais detalhada.

Nicola Alaimo esteve magistral no papel principal. A sua voz quente e possante esteve sempre fresca e nunca esforçada, mesmo nas partes mais exigentes e difíceis. Devo relembrar que em algumas partes da ópera o barítono enfrenta desafios muito idênticos aos de um barítono Verdiano.

Juan Diego Flórez interpretou o papel mais difícil desta ópera do ponto de vista vocal. Alías, na informação distribuída com o libretto há um capítulo inteiro dedicado à discussão sobre o tipo de tenor que deve interpretar Arnold. Resumido, é um papel muito longo, que exige, por um lado bastante potência vocal e por outro muita flexibilidade. Para complicar as coisas, o tenor tem uma cena e ária longuíssima no início do quarto acto, depois de mais de 3 horas de ópera, e que, para complicar as coisas, é o momento pelo qual todos esperam.
Flórez, como devem calcular, foi mais uma vez a estrela do festival. Embora o tenor interprete a ária que referi anteriormente com alguma frequência nos seus recitais, interpretou pela primeira vez na sua carreira o papel de Arnold na totalidade.
Esteve bem, esteve muito bem, mas notei-lhe algum cansaço no final da ária do quarto acto. Isto notou-se perfeitamente quando começou a prolongar menos o final das frases e também no dó de peito final, que foi pouco potente e curto. De qualquer forma, devo salientar que no geral, Flórez esteve ao seu nível, isto é, provou que é dos melhores cantores da actualidade.

A revelação da noite foi, para mim, Amanda Forsythe. O soprano americano interpretou o papel masculino de Jemmy, o jovem filho de Guillaume. A cantora tem um timbre fantástico e uma flexibilidade vocal extraordinária. Para além disso, é uma pessoa de pequena e magra estatura, o que do ponto de vista cénico foi perfeito para o papel (a senhora francesa que estava sentada ao meu lado chegou a pensar que a cantora era mesmo um rapaz soprano).

Marina Rebeka esteve a um bom nível vocal, mas considero a sua interpretação um pouco inferior às dos outros cantores que destaquei.

A encenação de Vick, foi melhor do que o que eu estava à espera. Dominou o cenário de pareces brancas que foi sendo preenchido com os mais diversos adereços (cenários e figurinos de Paul Brown). Penso que a encenação, não obrigou os cantores a esforços desnecessários nem a fazerem figuras ridículas, o que já não é nada mau.

O ROF decidiu não cortar os dois bailados incluídos na ópera (bem ao gosto do publico francês). Não sendo eu um grande apreciador de bailado, devo no entanto dizer que a coreografia de Ron Howell foi uma desgraça. E mais não digo, a não ser que se ouviram muitos "bhuuuusss" na sala, principalmente no final do bailado do teceiro acto.

A direcção de Mariotti, maestro de tenra idade, foi bastante boa. A abertura for excelentemente interpretada e não houve descoordenações ao longo de toda a récita.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Rossini Opera Festival 2013

Acabei de chegar de Pesaro onde assisti a quatro récitas de óperas de Rossini, integradas no Rossini Opera Festival de 2013.

Nos próximos dias segue-se um resumo do que ali vivenciei.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Kaufmann no Trovador de Verdi / Kaufmann in Verdi's Trovatore

(In english below)

Não consigo ter uma opinião definitiva sobre a interpretação de Kaufmann do papel de Manrico no Trovador de Verdi. Não há quaisquer falhas vocal e interpretativa, e o "tenor" até repete a cabletta, o que poucos fazem nos dias que correm. No entanto, não consigo abstrair-me do facto de o seu timbre escuro, fazer lembrar-me um barítono...
Já agora, a nota final não é um dó de peito, mas um si natural (o que também é comum nos dias de hoje e parece, não tenho a certeza, que foi em si que Verdi escreveu a ária).


I can't have a definite opinion on Kaufmann's interpretation of the role of Manrico in Verdi's Il Trovatore. There is no vocal failure or interpretative failures and "tenor" repeats cabletta, which almost no one does these days. However, I can not disregard the fact that his dark timbre, reminds me a baritone voice...
By the way, the final note is not an high C in full voice but a B (which is also common these days and it seems, but I'm not sure, that Verdi wrote the aria in B).


quarta-feira, 5 de junho de 2013

Boris

Este é o Boris.
O Boris, um lindo labrador amarelo, já foi o meu cão. 
Hoje, por circunstâncias várias, já não é...
Tenho muitas saudades dele, mas tenho a certeza que está muito bem... o que já me dá algum consolo.

domingo, 12 de maio de 2013

Dia Europeu da Ópera / European Opera Days

(In english bellow)

No Dia Europeu da Ópera "acordei" com a melhor interpretação que conheço da ária "Ebben! Ne andro lontana", da ópera La Wally de Alfredo Catalani. Maria Callas, evidentemente.

Feliz Dia Europeu da Ópera!


"Woke up" today, The European Day of Opera, with the best interpretation I know of "Ebben! Ne andro lontana" from La Wally by Alfredo Catalani. Maria Callas of course.


Happy European Day of Opera.


domingo, 5 de maio de 2013

Corelli e Kunde em Poliuto

Sempre tive como referência no papel de Poliuto (ópera quase esquecida de Donizetti), o tenor Franco Corelli, nas famosas récitas de Milão com a Callas no início dos anos 60.

Segue-se um vídeo (captação audio) de uma dessas récitas.



Reparem os meus leitores na forma como o tenor sobe para o Dó de peito com passagem por Si bemol (aqui). Impressionante...

Recentemente encontrei uma interpretação do tenor Gregory Kunde que, como sabem, é um dos meus tenores favoritos da actualidade. A voz de Kunde nada tem a ver com a de Corelli, no entanto a sua interpretação da ária e cabaletta, não deixa de ser igualmente impressionate. Com um estilo bem mais "belcantista", Kunde repete a cabaletta introduzindo variações de coloratura, como dever ser feito nas óperas de bel canto.


segunda-feira, 29 de abril de 2013

Paulo Ferreira - "MEDEA“ – L. Cherubini – Tiroler Landestheater, Innsbruck (Austria), Abril.2013

O tenor Paulo Ferreira continua a maravilhar a crítica operática...

Parabéns meu caro amigo!



Paulo Ferreira é um Giasone que conhece esta mulher no mesmo nível (...Medeia com ênfase heróico altamente dramático...) com o ataque que na noite de abertura sábado entregou-se ao público mais e mais, com a sua resplandecente e maravilhosa voz de tenor. - by Ursula Strohal - TT, 22.04.2013

Paulo Ferreira, Giasone... com a sua voz de tenor poderosa, imaculado nas notas mais agudas e com o desenrolar da récita o seu desempenho dramático foi cada vez melhor. - by Sieghard Krabichler – B.Blätter, 22.04.2013

domingo, 14 de abril de 2013

Mariella Devia em Norma / Mariella Devia in Norma

O soprano italiano Mariella Devia estreou-se ontem, depois de completar 65 anos de idade, no papel de Norma, que será porventura o mais difícil de todos os papeis do repertório do Bel canto italiano.

Um feito extraordinário no mundo da ópera e uma interpretação fantástica a avaliar pelos primeiros vídeos disponíveis no Youtube.


Italian soprano Mariella Devia debuted yesterday, at 65, the role of Norma by Bellini, the most difficult role in italian Bel canto repertoire.


An extraordinary event in the opera world and a fantastic interpretation judging from the first videos available on Youtube.



sexta-feira, 12 de abril de 2013

Parabéns Mariella Devia / Happy Birthday Mariella Devia

@ Enrico Margiotta
Mariella Devia, uma rainha do Bel Canto, faz hoje 65 anos e debuta amanhã no papel de Norma no Teatro Comunale di Bologna.

Parabéns a uma das minhas cantoras preferidas!


Today is the 65th birthday of Mariella Devia, a Bel Canto queen. The singer debuts tomorrow the role of Norma in Teatro Comunale di Bologna.

Happy Birthday to one of my favorite singers!



Parabéns Caballé / Congratulations Caballé

Completa hoje 80 anos a grande DIVA!

80th birthday today...



quarta-feira, 6 de março de 2013

Finalmente uma pausa! / At last a break!

Finalmente a caminho de Madrid para Gruberova e a DiDonato no Teatro Real.

Finally going to Madrid for Gruberova and DiDonato performances at Teatro Real.




sábado, 23 de fevereiro de 2013

Lucrezia Borgia com Sutherland e Kraus Paris 17 de Junho de 1989 / Lucrezia Borgia with Sutherland and Kraus - Paris June 17th 1989

Em 1989 Joan Sutherland praticamente no final da sua longa carreira. No entanto, a cantora continuava a encher teatros e a deliciar multidões.

Já falei aqui no Outras Escritas das famosas interpretações da cantora na ópera Lucrezia Borgia de Gaetano Donizetti no Teatro Del Liceu de Barcelona e no Théatre des Champs-Elysées de Paris precisamente no ano de 1989.

Recentemente encontrei no youtube uma gravação com excertos da récita de Paris (em versão concerto) realizada no dia 17 de Junho. Sutherland, com 62 anos na altura é acompanhada por um "fantástico" e jovial Alfredo Kraus, na altura com 61.

Vale a pena ouvir!



In 1989 Joan Sutherland was practically at the end of his long career. However, the singer continued to fill theaters and delighting crowds.

I've mentioned several times here on Outras Escritas the famous interpretations of Sutherland in the opera Lucrezia Borgia by Gaetano Donizetti at the Teatro del Liceu in Barcelona and the Théâtre des Champs-Elysées in Paris precisely.

Recentely I found a recording on youtube with excerpts of  the Paris performance (concert version) held on 17 June. Sutherland, aged 62 at the time, was accompanied by a "fantastic" Alfredo Kraus in aged 61.

Well worth listening!



sábado, 2 de fevereiro de 2013

Pretty Yende

Um nome a reter no que ao Bel canto diz respeito. Pretty Yende está por estes dias a interpretar a Contesse Adele da ópera Le Comte d'Ory (Rossini) no MET ao lado do Flórez. Acabei de a ouvir interpretar de forma soberba a ária do primeiro acto (em directo).


A name to retained in what Bel canto concerns. Pretty Yende is these days is doing Contesse Adele's role in the opera Le Comte d'Ory (Rossini) in MET together with Flórez. I just listen her doing a fabulous job in the aria of the first act (live).

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Julia Lezhneva - Exultate Jubilate (Mozart)

Uma das vozes mais promissoras da actualidade. Uma interpretação extraordinária do "Alleluia" do  "Exsultate, jubilate, K165" de Mozart.

One of the most promising voices of our times. An extraordinary interpretation of "Alleluia" from Mozart's "Exsultate, jubilate, K165".


terça-feira, 22 de janeiro de 2013

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Tiago Matos (Barítono/Baritone)

(in english bellow)

Descobri recentemente a voz do jovem barítono Tiago Matos ao visionar no YouTube, um vídeo com a sua interpretação de Mein Sehnen, Mein Wähnen (Die Tote Stadt, Korngold) no Palais Ganier de Paris.

Oiçam, com atenção...




Muito bom, não é? Claro que sim!

Entrei em contacto com o Tiago através do Facebook, falando-lhe do Outras Escritas e do interesse que tenho em seguir a carreira de jovens cantores líricos portugueses. O Tiago gentilmente aceitou o meu pedido de amizade e enviou-me o seu currículo que demonstra que, apesar da sua idade (23 anos), o cantor tem um início de carreira bastante "recheado" e promissor.

Destaco entre outros: a obtenção do  1º Prémio “Cidade de Lisboa” e do Prémio Melhor Interpretação Lied/Mélodie “Câmara Municipal de Cascais” do 6º Concurso de Canto Lírico da Fundação Rotária Portuguesa; e as interpretações de: Escamillo em Carmen – G. Bizet, Júpiter em Orphée aux enfers - J. Offenbach; Pai em Hänsel und Gretel - E. Humperdinck; Bandido e Sábio em A Floresta – E. Carrapatoso; Mestre de Música em Il Maestro di Capella - D. Cimarosa; Sacerdote di Bello em Nabucco – G. Verdi e Janino em O Basculho de Chaminé – M. Portugal.

Em Outubro de 2012 o Tiago foi admitido no Atelier Lyrique da Ópera Nacional de Paris onde na presente temporada irá cantar os papeis de Enrico e Bonafede nas óperas L’Isola Disabitata e Il Mondo della Luna, ambas de J. Haydn.

Estarei atento à carreira do Tiago e voltarei a falar dele aqui no Outras Escritas.


I discovered recently the voice of the young portuguese baritone Tiago Matos on a YouTube video with his interpretation of Sehnen Mein, Mein Wähnen (Die Tote Stadt, Korngold) Ganier Palais in Paris.

Listen carefully (video above)...

Very good voice and interpretation, isn't it? Yes it is...

I got in touch with Tiago through Facebook, telling him of about Outras Escritas and the interest I have in following the careers of young Portuguese singers. Tiago graciously accepted my friendship request and sent me his resume that shows that, despite his age (23 years), the singer has a very intense performance experience.

Among others I' like to emphasize: the 1st prize “Cidade de Lisboa” and best Lied/Melodie interpretations prize “Câmara Municipal de Cascais” from the 6th Lyrical Singing Competition of Fundação Rotária Portuguesa; and the interpretation of: Escamillo from Carmen – G. Bizet, Júpiter from Orphée aux enfers - J. Offenbach; Pai from Hänsel und Gretel - E. Humperdinck; Bandido e Sábio from A Floresta – E. Carrapatoso; Mestre de Música from Il Maestro di Capella - D. Cimarosa; Sacerdote di Bello from Nabucco – G. Verdi and Janino from O Basculho de Chaminé – M. Portugal.

We will follow Tiago's career here on Outras Escritas.


segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Mariella Devia e Gregory Kunde em Il Pirata de Bellini / Mariella Devia and Gregory Kunde in Il Pirata by Vincezo Bellini

(in english bellow)

Acabei de ouvir em directo na Rádio Catalunya Musica a última récita da ópera Il Pirata de Vincenzo Bellini no Gran Teatro del Liceu de Barcelona.

Esta ópera, é pouco apresentada nos teatros de ópera actualmente, uma vez que representa um "tour de force" para o soprano, no papel de Imogene, e para o tenor no papel de Gualtiero. No passado destacam-se as interpretações de Callas e de Caballé (que dizia que cantar Imogene é mais difícil que cantar Norma).

Para estas récitas, em versão concerto, o Teatro del Liceu não poderia ter escolhido melhor dupla de cantores: o soprano italiano Mariella Devia e o tenor americano Gregory Kunde.

Mariella Devia, aos 64 anos, interpreta magistralmente a partitura. Não há uma falha na linha melódica, o legatto é irrepreensível e a beleza tonal notável. Até consegue umas notas graves de peito com um volume apreciável, coisa que não é comum na cantora.

Gregory Kunde enfrenta com bravura a difícil partitura para tenor. Bellini escreveu o papel de Gualtiero para o tenor Giovanni Rubini e, por isso, numa tessitura muito aguda. Kunde, que já não é novo, foi extraordinário em todos os registos e ainda nos brindou com alguns agudos que não estão na partitura. Pessoalmente gosto muito da voz do tenor que já tive oportunidade de ouvir em Barcelona na ópera Anna Bolena.

O resto do elenco esteve bem, nomeadamente o barítono Vladimir Stoyanov.

Segue-se um vídeo com a captação audio da cena final (4 de Janeiro).


I just heard live on Catalunya Radio Music he last performance of the opera  Il Pirata by Vincenzo Bellini at Gran Teatro del Liceu in Barcelona.

This opera is not presented in much these days, since it's a "tour de force" for the soprano, in the role of Imogene, and for the tenor in the role of Gualtiero. In the past the interpretations of Callas and Caballé (that said Imogene singing is harder to sing Norma) are references.

For these performances, in concert version, the Teatro del Liceu could not have chosen a better pair of singers: italian soprano Mariella Devia and american tenor Gregory Kunde.

Mariella Devia, at 64, interprets the score masterfully. There is not a flaw in the melodic line, the legatto is impeccable and the voice is beautiful. Even in the lower register, the singer managed quite well some chest notes.

Gregory Kunde bravely faces the difficult score of the tenor. Bellini wrote the role of  Gualtiero for the tenor Giovanni Rubini and therefore a very high tessiture. Kunde, in his fifties  was extraordinary in all registers and even offered us some highs that are not in the score. Personally I love the tenor's voice  who had an opportunity to listen in Barcelona at the opera Anna Bolena.

The rest of the cast was good, baritone Vladimir Stoyanov in particular.

Above a video of the final scene (January 4th).

sábado, 5 de janeiro de 2013

Julia Lezhneva

(In english bellow)
Julia Lezhneva, uma soprano com pouco mais de vinte anos, continua a consolidar uma carreira que se prevê de sucesso.

A cantora tem um contrato com a Decca e prepara-se para lançar um álbum com o seu próprio nome (com Il Giardino Armonico dirigido por Giovanni Antonini).

Na página da Decca no YouTube encontra-se o vídeo seguinte, com uma interessante entrevista com Lezhneva.


Julia Lezhneva is a soprano in her early twenties, with a very promising career. The singer has a contract with Decca and is preparing a new album (with Il Giardino Armonico and Giovanni Antonini).

On Decca's YouTube page you can find the following video, with an interesting interview with Lezhneva.


quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

A Stuarda da DiDonato / Joyce DiDonato's Stuarda

(In English bellow)

Considero Joyce DiDonato uma das melhores cantoras da actualidade. No entanto, não entendo porque decidiu interpretar o papel de Maria Stuarda na ópera homónima de Gaetano Donizetti. Como se pode ver (ouvir) nos vídeos que se seguem captados na récita de 31 de Dezembro no MET, a voz da cantora está longe de ser ideal para este papel.

Terá sido DIDonato inspirada pela interpretação de Dame Janet Baker nos anos 1980?



I consider Joyce DiDonato one of the best singers of our days. However, I do not understand why she decided to play the role of Maria Stuarda in the opera with the same name by Gaetano Donizetti. As you can see (hear) in the videos that follow, captured in Dec. 31 at the MET, the singer's voice is far from ideal for this role.

Does DiDonato been inspired by the interpretation of Dame Janet Baker in the 1980s? I don't know...


terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Humidade e ponto de orvalho

Sempre me intrigou o facto de se dizer que na Madeira o facto de o grau de humidade ser muito elevado nos levar a que ao mais pequeno esforço fiquemos transpirados em excesso. Isto acontece principalmente no verão, embora a temperatura do ar não seja muito elevada.

O que me intrigava era o facto de, ao consultar os dados sobre a humidade num local considerado mais "seco", como o Alentejo, encontrar valores superiores ao da humidade no Funchal (podem verificar isso, por exemplo, para Estremoz e para o Funchal).

Um pouco de pesquisa na Internet, levou-me a concluir que não é o valor de humidade que deve ser levando em consideração no que diz respeito ao desconforto, mas sim o "ponto de orvalho" (dew point em inglês).

A definição de ponto de orvalho é (da Wikipédia em português do Brasil):


Ponto de orvalho designa a temperatura à qual o vapor de água presente no ar ambiente passa ao estado líquido na forma de pequenas gotas por via da condensação, o chamado orvalho.[1]. Em outras palavras, é a temperatura à qual o vapor d'água que está em suspensão no ar à nossa volta condensaria (viraria "orvalho") sob a mesma pressão.
É o ponto onde ocorre a saturação do ar pelo decréscimo de temperatura, reduzindo, assim, a capacidade do ar atmosférico para conter o vapor d’água.
O ar presente no ambiente é composto por vários tipos de gases, partículas em suspensão e também água no estado gasoso. A quantidade de água que um metro cúbico de ar contém define a humidadeabsoluta. Se for introduzida humidade numa determinada massa de ar a sua humidade absoluta vai aumentando.
O ponto de orvalho sempre é inferior ou igual à temperatura do ar; jamais superior a ela. Quando o ponto de orvalho é inferior à temperatura do ar, significa que o ar não está saturado de humidade (a humidade relativa do ar é inferior a 100%) e ele ainda pode contém mais vapor d'água. Se o ponto de orvalho aumenta ou se a temperatura do ar diminui, o ar vai ficando mais saturado de humidade (a humidade relativa do ar aproxima-se de 100%). Quando o ponto de orvalho se iguala à temperatura do ar, o ar fica saturado de humidade (a humidade relativa do ar atinge 100%). A partir daí, se a temperatura do ar baixa, o ponto de orvalho acompanha (baixa junto), pois nunca poderá ser superior à temperatura do ar. O excesso de humidade, portanto, condensa gerando orvalho, processo que retira o excesso de vapor d'água do ar e dá origem a fenômenos como geada, nevoeiro, chuva ou neve.

E a sensação de desconforto está associada aos seguintes valores:
  • Abaixo de 10°C significa desconforto do tipo "secura".
  • De de 10°C a 16°C significa confortável.
  • Acima de 16°C significa desconforto do tipo "mormaço".
  • Acima de 21°C significa muito desconforto.
  • Acima de 24°C significa desconforto extremo.
Compare a duas seguintes situações. Quando a temperatura em um cidade está 36°C, mas o ponto de orvalho está mais baixo, digamos 12°C, significa que seria necessário baixar muito a temperatura para a água condensar sob mesma pressão. Isso porque, para a temperatura e pressão em questão, há pouca umidade no ar. Dessa forma, mesmo estando quente, o suor da pele evapora rapidamente, baixando a temperatura do corpo.
Mas quando a temperatura está em 36°C e o ponto de orvalho está em, por exemplo, 20°C, o suor da pele não evapora com facilidade pois já há muita umidade no ar. Daí, além do suor não conseguir tirar o calor do corpo de forma eficiente, ele não seca, causando a sensação de desconforto (como ficar "grudento"). Por isso a sensação de mormaço.


Assim, tudo bate certo! Se repararem, o ponto de orvalho no Funchal está geralmente em valores próximos de 16 ºC ou superiores.